12 de abril de 2022

Como fazer a previsão do fluxo de caixa?

Por Thesis

O fluxo de caixa é uma importante ferramenta de gestão financeira para qualquer empresa. Saiba como fazê-lo corretamente.

Quando alguém inicia um negócio próprio, aparecem diversas preocupações: como criar um CNPJ, qual é a melhor maquininha de cartão, de que modo fazer uma conta bancária de pessoa jurídica etc.

Todo empreendedor que quer ter mais controle das finanças do seu negócio precisa aprender, também, a projetar um fluxo de caixa da maneira correta. Assim, ele terá noção de quanto caixa entra e sai e poderá se programar.

O fluxo de caixa é um demonstrativo financeiro fundamental para qualquer pessoa que esteja empreendendo. Por isso, separamos um guia que vai te ajudar a montar o seu próprio fluxo de caixa empresarial para auxiliar a saúde financeira da sua empresa.

O que é previsão de fluxo de caixa?

Fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira fundamental para qualquer empresa. Ela permite acompanhar todas as movimentações financeiras de uma companhia, mostrando todas as entradas e as saídas de dinheiro, bem como o caixa da empresa.

A previsão de fluxo de caixa é feita baseando-se em uma estimativa das entradas e das saídas de dinheiro a fim de entender como será a realidade financeira da empresa.  

É possível estimar esse valor usando os dados financeiros anteriores da empresa e os projetando no futuro para haver uma previsibilidade maior.

Qual a importância do fluxo de caixa?

O fluxo de caixa ajuda a avaliar o estado financeiro da empresa: se ela está tendo lucro no final do período apurado e se conseguirá manter as suas operações no longo prazo.

Além disso, essa é uma importante ferramenta para ajudar a tomar decisões na realidade empresarial, uma vez que mostra, de forma clara, como anda a performance da companhia e de onde provém a entrada de caixa.

Em segundo lugar, essa ferramenta também ajuda a verificar se a companhia precisará de fontes externas de dinheiro, como empréstimos e financiamentos, para continuar suas atividades.

Por fim, com a previsão do fluxo de caixa, pode-se ver, mais facilmente, em que área a empresa pode investir seu dinheiro para obter mais lucro e para continuar funcionando.

Como é dividida a estrutura de um fluxo de caixa?

De forma geral, a projeção de fluxo de caixa de uma empresa tem três grandes grupos de entrada e de saída de caixa que ajudam a verificar as suas condições financeiras.

Primeiramente, existe o grupo de atividades operacionais, em que se encontram as receitas de vendas de produtos e de serviços que a empresa comercializa. Aqui, apresentam-se desde a compra de matéria-prima, transportes, conta de luz e de água, até mesmo pagamento de funcionários.

Em segundo plano, há o grupo de atividades de investimentos, seja na forma de aplicações em investimentos financeiros ou na forma de compra de bens para a empresa, como automóveis, computadores e outros equipamentos.

Em terceiro lugar, existem as atividades de financiamento, que mostram as entradas e as saídas de caixa vindas de financiamentos, como amortização de dívidas, pagamento de juros de investimentos etc.

Como criar a previsão do fluxo de caixa?

É preciso, em primeiro plano, estipular um período de tempo no qual será feita a avaliação. As formas mais comuns são mensais, trimestrais e anuais. O prazo dependerá de fatores como a atividade da empresa, o seu tamanho e os planejamentos estratégicos.

É preciso, ademais, estabelecer prazos médios de pagamento. Ou seja, saber o tempo entre a data da compra e o pagamento ao fornecedor.

Por outro lado, também é fundamental o estabelecimento dos prazos médios de recebimento: o tempo percorrido entre a venda de um produto ou de um serviço e o recebimento de dinheiro pela empresa.

Por fim, deve-se dividir as fontes de entrada e de saída de caixa em grupos de atividades. Como afirmado anteriormente, as principais atividades são: operacional, de investimentos e de financiamentos.

Desse modo, será possível entender como funcionam a entrada e a saída de caixa de uma empresa, bem como se programar para manter as atividades da companhia de forma apropriada.